116 Anos de História!

Luciana de Araújo (ao centro) na antiga casa nº 07 onde
inicialmente abrigou as crianças.
Com grande satisfação o nosso Instituto São Benedito comemorou dia 13 de maio de 2017, os seus 116 anos. E esta bela Obra de Assistência Social começou pela determinação e coragem de uma senhora chamada Luciana Lealdina de Araújo. Ela era negra, filha de mãe escrava e dotada de grande sensibilidade para com os pobres. Luciana nasceu em Porto Alegre, no dia 13 de junho de 1870 e ainda jovem veio com sua família para Pelotas. Aqui ela se deparou com a triste realidade de muitas meninas negras e órfãs desamparadas.
Em nossa cidade não havia nenhuma instituição
que acolhesse essas meninas, e Luciana vendo isso, se compadeceu. Naquela época a tuberculose era uma doença comum entre a população e Luciana era acometida desse mal que a deixou muito doente. Porém, a fé e a coragem, não deixaram Luciana se abater, clamando ela aos céus, fez uma promessa a São Benedito. A jovem adoentada pediu então pela sua cura, e se caso fosse atendida fundaria uma casa para acolher as meninas carentes que tanto lhe comovia. Tais meninas seriam acolhidas sem nenhuma distinção de cor.

Por sua tamanha fé, e nobre propósito Luciana teve sua saúde milagrosamente restabelecida. Ela então cumpriu sua promessa, mesmo sabendo que seria muito árdua essa tarefa. Iluminada por Deus, Luciana de Araújo começou sua peregrinação benemérita que idealizou, a qual recebeu o nome de Asilo de Órfãs São Benedito, hoje, Instituto São Benedito.

A Fundação
Atual prédio do Instituto. Lateral da R. Felix da Cunha.

No dia 06 de Fevereiro de 1901 em uma reunião pública ocorreu a fundação e, no dia 13 de maio, foi oficialmente inaugurado o Asilo de Órfãs São Benedito. Inicialmente a Obra desenvolveu suas atividades na casa nº 07 da antiga Praça da Matriz, atual Praça José Bonifácio. Nos dois primeiros anos foram matriculadas onze meninas. Durante 15 anos a Obra assistencial recebeu crescente número de crianças - entre 1901 e 1915 – nesse período a sede da entidade precisou de mais espaço, sendo assim, transferida para o atual edifício, que foi gratuitamente cedido pelo benfeitor, Joaquim Rasgado. O Instituto São Benedito desde então está localizado na Rua Felix da Cunha, nº 909.

Em 1902 pelos relevantes serviços prestados a esta Obra Filantrópica, foram reconhecidos os primeiros sócios: Luciana Lealdina de Araújo, Maria Bárbara de Cerqueira, Ataliba Borges R. da Costa, José Alves C. Magalhães, Ignácio Passos e Modesto dos P. Barcelos. Após, formou-se a primeira Diretoria com os respectivos membros: Presidente - José da Silva Santos, Vice-Presidente: Juvenal Augusto da Silva, Secretário: Gabriel Augusto Guimarães, Tesoureiro: José Veríssimo Alves, Adjunto: Francisco de Assis de Oliveira. A partir desta Diretoria, formou-se uma comissão que logo elaborou o primeiro Estatuto. Desde 1901, esta entidade é administrada por diretorias constituídas de membros voluntários da comunidade local que sucessivamente vem prestando seus serviços com extraordinária dedicação e gratuidade.

Irmã Oneide e o abraço acolhedor de quem se preocupa.
A chegada das Irmãs
Em 1912 a diretoria do Asilo, na pessoa do Sr. José Veríssimo Alves, solicitou a presença da Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria para assumir a direção interna e os encargos dos serviços assistenciais da Obra. Uma vez que a Senhora Arminda Machado de Oliveira, diretora interna, pediu exoneração por motivos de saúde. A posse das Irmãs deu-se no dia 25 de Setembro de 1912.
No ano de 1916 foi adquirida através de campanha coordenada por uma comissão de líderes pelotenses, o terreno onde atualmente encontra-se a sede do Instituto. A comissão era formada pelos abnegados Dr. Luis Mello Guimarães - Juiz da Comarca de Pelotas, José Veríssimo Alves - Jornalista, Antônio Levas de Carvalho – Guarda-livros, José Nunes da S. Tavares – industrialista e mais a generosidade do povo pelotense.


A Missão
Irmã Angélia cuida com carinho da alimentação das crianças.
Atualmente a Escola Fundamental São Benedito atende, gratuitamente, em média 115 crianças e adolescentes em situação de risco e vulnerabilidade social, oriundas da periferia da cidade. O atendimento se dá através do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos. As crianças recebem Ensino Fundamental (1º ao 5º ano), Oficinas Pedagógicas e Culturais: recreação, dança (balé e Jazz), coral, educação ambiental, artes, trabalhos manuais, informática, além de deliciosas refeições.

Cursos de Informática e Práticas Bancárias para as jovens
ingressarem no competitivo mercado de trabalho.
A Proposta Pedagógica da Escola tem a missão de oferecer uma educação integral, baseada na ação educativa do Projeto Libertador de Jesus Cristo – opção pela Pessoa Humana e o Projeto Pedagógico de Bárbara Maix, - promoção e defesa da vida, desenvolvendo o saber – fazer, o saber – ser e o saber – conviver para uma vida digna com valores humanos e cristãos.
Todo o trabalho realizado pela Instituição visa contribuir na construção de um mundo melhor, proporcionando a inclusão social de crianças e adolescentes em situação de risco educando para
que sejam cidadãs autônomas, críticas,
conscientes e  protagonistas do exercício da cidadania na família, instituição e comunidade.

O Apoio dos Amigos
Grupo do Balé em apresentação no Theatro Guarany

O Instituto São Benedito se mantém através de promoções, sócios e doações da comunidade local.
A Instituição busca conseguir novos parceiros. Amigos que se identifiquem com a proposta de Luciana de Araújo e que gostariam de oferecer um futuro melhor para os menos favorecidos.
Do Município o Instituto recebe o apoio através de professores que são cedidos para ministrarem as aulas, os demais são estagiários contratados pelo Instituto São Benedito. A Escola conta com grande número de voluntários que atuam nas Oficinas. O SENAC mantém parceria proporcionando cursos profissionalizantes para mães e adolescentes. Há também a parceria com a UNIMED a qual oferece atendimento gratuito para todas as crianças em casos emergenciais.

 Cronologia da Escola
Grupo do Jazz
A Instituição ao longo dos anos passou por várias mudanças:
1901 a 1917 – Internato (ensino primário e técnicas domésticas);
1917 a 1936 – Funcionou como Escola Santa Inês.(Ensino Primário);
1937 a 1950 - Foi instalado o Colégio São Benedito;
1950 a 1958 – Com o Decreto nº 209, o Sr. Dr. Joaquim Duval, então Prefeito de Pelotas, municipalizou a Escola desta Instituição, passando a se chamar Escola Municipal “Luciana de Araújo”. Essa denominação foi dada em homenagem à benemérita fundadora do Asilo São Benedito. Em 1958, a Escola Municipal Luciana de Araújo foi transferida do Instituto São Benedito para a Rede Municipal a pedido da própria Diretoria da Obra.
Em 1959 esta Escola passa a ser denominada Escola de 1º Grau Incompleto – São Benedito.
Em 1968 o Internato foi extinto, passando a funcionar o Regime de Semi- Internato para meninas carentes, até a presente data.

Diretoria atual
Grupo do Coral


Presidente: Flávio Luis da Cunha Gastal
1º Secretário: Fernando da Nova Cruz Dias
1º Tesoureiro: Tirzah Araujo Salazar
Diretor de Sede: Tânia Alves Gastal
Diretor Interno: Irmã Julieta Bertuol

A Nossa Fundadora:
Luciana Lealdina de Araújo. "Mãe Preta"


O Grande mérito de Luciana Lealdina de Araújo foi seu imenso amor aos pobres a quem dedicou toda a sua vida.
Nascida a 13 de Junho de 1870, em Porto Alegre, Luciana pertencia a uma família muito pobre. Uma senhora leiga e negra, filha de mãe escrava, jovem ainda, veio morar em Pelotas onde iniciou seu trabalho de proteção às crianças desamparadas, especialmente as meninas negras e órfãs.

No dia 06 de fevereiro de 1901 numa reunião pública foi fundado o Asilo de Órfãs São Benedito e, em 13 de maio, foi oficialmente inaugurado. O mesmo se mantinha através de donativos que Luciana recolhia em sua peregrinação pelas ruas.

De 1901 a 1912, um grupo de senhoras da cidade de Pelotas ministravam voluntariamente, educação (ensino Primário) e ensinamentos domésticos às meninas carentes dessa Instituição. Após esse período a Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria assumiu essas tarefas. Em 1951, o Asilo passou a denominar-se Instituto São Benedito.
Cumprida a sua missão em Pelotas, em 1908, Luciana de Araújo mudou-se para Bagé, levando consigo três filhas de criação: Alice, Avelina e Julieta. Na nova cidade no ano seguinte, fundou o Orfanato São Benedito, acolhendo, então, meninos e meninas. Com sua amiga Florentina Ferreira, voltou a percorrer as ruas, desta vez de Bagé, angariando donativos para sustentar a nova obra.

Em 1916, o orfanato recebeu a visita do grande poeta Olavo Bilac, que escreveu em seu livro de visitas: “Bendita seja esta admirável obra de caridade de amor”. A obra de Mãe Preta, porém, não parou por ai. Com o crescimento do Orfanato, ela deu por encerrada mais esta missão e pediu para ser substituída na direção da casa, passando então a dirigir uma creche de crianças pobres, na mesma cidade, onde trabalhou de 1922 a 27 de Novembro de 1930, data de sua morte.
Em Pelotas, em sua homenagem, existe hoje um Estabelecimento de Ensino que leva o nome desta grande mulher: é a Escola Municipal Luciana de Araújo, já na cidade de Bagé, há uma rua com seu nome.

SENAC faz ação do dia da criança no Instituto

O SENAC, mais uma vez, presenteou as alunas da Instituição com uma bela surpresa. Dessa vez, o pessoal tomou conta da cozinha e fez um almoç...